The social book. Tudo o que precisa de saber sobre o Facebook

book

 

O livro The social book. Tudo o que precisa de saber sobre o Facebook é uma ferramenta para quem pretender criar e gerir eficazmente a presença de uma página nesta rede social.

Autor: Virgínia Coutinho

Editora: Actual Editora

 

Índice:

Introdução
Capítulo 1 – Social Media e Redes Sociais
Capítulo 2 – O Rei das Redes sociais
Capítulo 3 – Mitos e Regras
Capítulo 4 – Principais Conceitos e Estratégia
Capítulo 5 – Criação de uma Página Passo a Passo
Capítulo 6 – Conteúdo e Gestão de Páginas
Capítulo 7 – Estatísticas de uma Página de Facebook
Capítulo 8 – Aplicações e Separadores Personalizados
Capítulo 9 – Anúncios e Opções Pagas do Facebook
Capítulo 10 – Dúvidas Frequentes e Fontes de Informação

Resumo do Livro:

A revolução tecnológica que hoje vivemos trouxe o acesso facilitado a ferramentas que permitem a permanente interacção entre internautas.

Enquanto os Social Media são plataformas centradas no conteúdo (ex. blogues, wikis, etc.), as Redes Sociais centram-se sobretudo nas relações (ex. facebook, twitter, etc.). O Facebook é a rede social com mais utilizadores em todo o mundo e tem sido a sua capacidade evolutiva que lhe tem permitido continuar a manter essa posição. As audiências do Facebook em horário nobre são frequentemente superiores às dos principais canais de televisão.

Em Portugal, o Facebook é a rede Social mais importante e com mais utilizadores mas dependendo do sector de negócio e público-alvo, poderá haver outras redes sociais a ter em conta, como o LinkedIn, o Twitter, o Instagram, o Google +, o YouTube, o Pinterest e o Tripadvisor. Se a empresa tiver negócios com o estrangeiro e pretender fazer uma correcta gestão das Redes Sociais, tem que perceber quais são as mais relevantes em cada país. Além disso, o Facebook não deve ser substituto de outros meios de comunicação online mas sim, um complemento e mais um canal.

Se o Facebook for determinante para a notoriedade da empresa e esta não dispor de recurso humanos especializados, poderá será necessário recorrer a serviços de um community manager (profissional que gere a comunidade nas redes sociais) ou mesmo de um social media strategist (profissional responsável por todas a estratégia do social media). De qualquer forma, mesmo que não pretenda despender dinheiro com o Facebook, no mínimo terá que investir tempo.

As empresas devem criar uma página e não um perfil e definir uma estratégia de comunicação específica para o Facebook. Esta estratégia passa por monitorizar os comentários acerca do produto, marca ou empresa; consultar as páginas dos concorrentes e comparar os dados; definir objectivos; definir público-alvo e compreender as suas necessidades e expectativas; definir presença; definir conteúdos e acções e definir cronograma das acções.

A criação de uma página obedece a uma série de regras e há várias opções que se deve ter em conta em função dos objectivos atingir. É essencial escolher o modelo correcto para que seja possível usufruir, de uma forma plena, das funcionalidades que o facebook disponibiliza (ex. para restaurantes colocar os horários de abertura, anexar as ementas, etc.). Na construção da página é preciso ter um cuidado especial com todos os pormenores, como a escolha do nome, as fotos de capa e a foto de perfil, os separadores visíveis, etc.

A partir do momento em que a página está criada é necessário produzir conteúdo de qualidade e adequado ao público-alvo da mesma. A quantidade de publicações, a hora a que se publica, a língua escolhida para transmitir a mensagem, o tipo de conteúdo, o tom, etc., são tudo questões que têm que ser analisadas e experimentadas de forma a ter a maior quantidade de interações possível. É preciso reforçar que as pessoas não acedem ao Facebook para comprar, mas sim para socializar, pelo que conteúdo comercial deve ser em quantidade reduzida. É necessário ter cuidado com a abordagem nesta rede social para que são seja apenas um meio de venda mas sim, a criação de valor para o consumidor.

O conteúdo pode ser partilhado em forma de fotos, vídeo, infográficos, perguntas, marcos, eventos, etc. e tem como objectivo gerar interacção com o público, pelo que é importante estar atento aos resultados e responder à interacção. Há formas de manter uma actividade dinâmica da página, fazendo por exemplo passatempos, com o objectivo de ganhar notoriedade e angariar gostos.

A Facebook disponibiliza um conjunto de dados estatísticos aos administradores das páginas que lhes possibilita analisar e geri-la com mais eficácia. É fornecido uma grande quantidade de dados, pelo que é importante compreender cada resultado de forma a escolher as informações a analisar, diariamente ou periodicamente, consideradas mais importantes, tendo em consideração o objectivo da página.

Além do conteúdo, é também possível criar na página separadores personalizados com informações diversas com texto, imagens, ligação ao YouTube, formulários, etc. com o objectivo de melhorar a experiência e dar mais informações a quem visita a página. Além disso, é fundamental disponibilizar as aplicações adequadas aos objectivos da página (ex. para um restaurante a aplicação do Tripadvisor, para uma agência de viagens será a adequada a aplicação do Pinterest, etc.).

A opção de anunciar no Facebook, não sendo obrigatória, é na verdade uma ferramenta eficaz para obter maior visibilidade e interacção com o público. É importante compreender esta funcionalidade já que existem várias formas (algumas pouco conhecidas) de fazer publicidade no Facebook.  Tendo em consideração os objectivos (obter mais gostos, mais visualizações de um post, etc.) deve-se escolher a solução mais adequada, pelo que é necessário fazer várias experiências com vários formatos de forma a perceber a forma de conseguir o melhor desempenho possível da campanha. Uma das ferramentas mais importantes é facto de o Facebook permitir segmentar o público-alvo que pretende atingir escolhendo algumas das suas características (ex. residência, idade, género, idioma, nível académico, formação, etc.).

Uma empresa, para ter uma página no Facebook, tem que compreender bem as suas funcionalidades mas também perceber que existem determinadas regras e deveres que devem ser respeitados, caso contrário o conta pode ser bloqueada.

Frases Chave:

 “É a rede social mais usada pelos portugueses, sendo igualmente a rede social na qual as empresas portuguesas mais apostam.”

“As redes sociais são de uso gratuito, uma boa gestão de redes sociais está longe de não ter custos associados.”

“O Facebook irá trazer maior notoriedade à sua empresa e marca.”

“O conteúdo é um elemento-chave para criar uma relação próxima com a sua comunidade e para a manter interessada.”

“Um bom ponto de partida para a produção de conteúdos é perceber quais são os objectivos da página, bem como os seus públicos-alvo.”

“Devemos ter presente que quando alguém acede ao Facebook fá-lo com o intuito de socializar e não de comprar.”

________________________________________________________________

Consulte os reviews dos livros anteriormente analisados, **aqui**

Se gostou do artigo, coloque Gosto e Partilhe. Obrigada!

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s